Paula Previato Roja - Psicóloga - CRP 06/36321

 

 

Carl Gustav Jung

 

Carl Gustav Jung nasceu na Suíça em 26 de julho de 1875, seu pai foi um pastor protestante que exerceu influência muito profunda em sua vida, principalmente nas questões religiosas e espirituais.

Com 20 anos, ingressou na Escola de Medicina, Universidade de Basel, e com 25 anos iniciou sua formação em Psiquiatria com o estudo dos distúrbios da personalidade.

Em 1900 Jung tornou-se interno na clínica Psiquiátrica Burgholzli em Zurique, um dos mais progressivos centros psiquiátricos da Europa. Posteriormente tornou-se professor em psiquiatria na Universidade de Zurique e médico efetivo na Clínica Psiquiátrica.

Em 1902 publica sua tese de formação ”sobre a psicologia e patologia dos fenômenos ocultos”. Antecipa algumas de suas idéias posteriores, principalmente a de que o inconsciente é mais sensitivo que o consciente.

Em 1903 Jung e Bleuler começaram a interessar-se seriamente pelas ideias de S.Freud e apesar das críticas apontadas a Freud, Jung estava convencido do valor do seu trabalho.

Jung aproximou-se de Freud por afinidade científica, o que os levou a uma afinidade pessoal e uma sólida amizade, ainda hoje erroneamente interpretada como discipulado.

Achegou-se a Freud como colaborador, pois muitas de suas idéias acerca da fenomenologia da psique já estavam articuladas. Ele expôs inúmeras vezes sua dificuldade em aceitar a teoria da sexualidade, ao que Freud rebatia, insistindo na inexperiência do amigo.

O relacionamento entre Jung e Freud durou de 1903 a 1913 e o rompimento decorreu por divergências teóricas. Em uma conferência proferida em setembro de 1912, na universidade de Fordham, em Nova York, Jung descreve as divergências com Freud. (a) a opinião de que a repressão não explica todas as condições; (b) que as imagens inconscientes podem ter um significado teleológico; e (c) a libido, que chamava de energia psíquica, não é exclusivamente sexual.

O livro “símbolos da transformação” marca o final do relacionamento entre Freud e Jung e o rompimento causa grande abalo em ambos. O estresse decorrente contribui para um esgotamento nervoso que Jung lutou durante quase todo período da Primeira Guerra Mundial. Foi um período de pouca produção de material novo, mas de consolidação de algumas de suas descobertas. Neste período decide chamar sua psicanálise de “Psicologia Analítica”.

Ao longo de sua vida, proferiu inúmeras palestras e seminários. Em 1953 A Série Bollingen começa a publicar The Collected Works of C.G.Jung. No Brasil é editada pela Vozes Editora, inicialmente com 18 volumes.

Jung morreu a 6 de junho de 1961, com 86 anos, após uma vida de prática clínica, pesquisas e vasta contribuição em material publicado.

Em 1962 é publicado o livro Memórias Sonhos e Reflexões, um livro autobiográfico, gravado e organizado por Aniela Jaffé.

 

Bibliografia consultada:

  1. Eisendrath,Polly Young, Terence Dawson; Manual de Cambridge para Estudos Junguianos; Porto Alegre; Editora Artmed, 2002.
  2. Fadiman, James e Robert Frager; Teorias da Personalidade, São Paulo, Harbra, 1986.
  3. Zacharias, José Jorge de Morais - Entendendo os Tipos Humanos - São Paulo, Paulus, 1995.

 

images bolingen.jpg
Imagem23.gif